Problemas de injeção eletrônica comuns dos Fiat Tempra e suas soluções

Neste artigo listaremos os problemas mais comuns das três injeções que equiparam os Tempra, e suas soluções.

Injeção Magnetti Marelli IAW-G7 (sem distribuidor)
Tempra 2.0 8v i.e e Tempra 2.0 16V fabricados em 95 ou adiante.

Atuador de marcha lenta incorreto
Problema: aplicação de modelo errado
O que causa: solavancos, aceleração inconsistente, marcha lenta irregular
Solução: Apesar dos tempras 2.0 8V e 2.0 16V usarem a mesma injeção, a G7, eles usam coletores de admissão diferentes, o que resulta em um conjunto “TBI” diferente. Por consequência, cada modelo tem um atuador de marcha lenta diferente. Infelizmente a maioria das auto peças acham que são todos atuadores iguais e vendem sempre o mesmo modelo. Note também que a “TBI” do Tempra 16V acima de 97 é levemente diferente da “TBI” do tempra 95 e 96, resultando em: um atuador para 8V e dois atuadores diferentes para o 16V

Veja a numeração correta de cada peça:
Tempra 2.0 8v 95 a 99: 403.971.02
Tempra 2.0 16V 95-96: Magneti Marelli 403.802.02
Tempra 2.0 16V 97-99: Magneti Marelli 404.301.02

Relés da bomba e atuadores com resistência ruim ou defeito
Problema: relés velhos, necessitando substituição
O que causa: solavancos ao acionar a função “cutoff” (soltar acelerador acima de 1800rpm), partida demorada, bomba de gasolina com mau funcionamento.
Solução: Substituir os dois relés localizados embaixo do porta luvas, próximo ao módulo de injeção, por outros relés novos. Devem ser relés idênticos de 2x30A. Exemplo: DNI0142 e DNI8118.

Injeção Magnetti Marelli IAW-P8 (com distribuidor)
Tempra 2.0 16V fabricados entre 93 e 95

—–

Injeção Bosch Motronic (com distribuidor)
Tempra Turbo e Tempra Turbo Stile

—-

Posted in tutoriais.